BorboletaDeCanela

um sonho.....
Daisypath Ticker

Wednesday, January 11, 2006

Derradeiro

Este é o último post do BorboletaDeCanela.
Este projecto vai terminar, ainda tinha muito para dar, mas demasiadas pessoas vêm cá sem deixar sinais, embora deixem o ar impregnado com a presença.
Vou para outras paragens.
Diário de bordo, volta a ser manual.
A todos os que me acompanharam, que me fizeram feliz, que me apoiaram quando precisei, a todos eles, um muito obrigado. Aos outros, vão para o diabo que vos carregue.

Monday, January 09, 2006

Boas surpresas...

Esta manhã tive pelo menos duas boas surpresas.
Tenho ido ao mail deste blog com pouca frequência, para falar a verdade pelos menos há dois meses que lá não ia. Surpresas das surpresas esta manhã quando lá cheguei tinha mensagens de duas pessoas, que me deixaram felizes por não se terem esquecido de mim em duas datas especiais. A primeira foi a Angela, que infelizmente abandonou estas lides bloguistas, que me mandou um mail na véspera do meu casamento. Só o li hoje mas revivi tudo novamente. Obrigado Angela, do fundo do coração, espero que um dia nos possamos encontrar por essa estrada da vida.
E a outra foi a Pat, com uma mensagem de Feliz Natal, ela que anda sempre tão ocupada, com mil e um projectos ao mesmo tempo ainda teve tempo para estes mimos, a ti também Pat, tudo de bom!!!
E pronto, apesar das vicissitudes da vida (a minha semana passada foi dificil) às vezes o sol sorri, só para nós. Como hoje.
Angela, até sempre!!!!!

Thursday, January 05, 2006

catarse (minha), talvez até sempre...

Poeta castrado não!

Serei tudo o que disserem
por inveja ou negação:
cabeçudo dromedário
fogueira de exibição
teorema corolário
poema de mão em mão
lãzudo publicitário
malabarista cabrão.
Serei tudo o que disserem:
Poeta castrado não!

Os que entendem como eu
as linhas com que me escrevo
reconhecem o que é meu
em tudo quanto lhes devo:
ternura como já disse
sempre que faço um poema;
saudade que se partisse
me alagaria de pena;
e também uma alegria
uma coragem serena
em renegar a poesia
quando ela nos envenena.

Os que entendem como eu
a força que tem um verso
reconhecem o que é seu
quando lhes mostro o reverso:

Da fome já não se fala
- é tão vulgar que nos cansa -
mas que dizer de uma bala
num esqueleto de criança?

Do frio não reza a história
- a morte é branda e letal -
mas que dizer da memória
de uma bomba de napalm?

E o resto que pode ser
o poema dia a dia?
- Um bisturi a crescer
nas coxas de uma judia;
um filho que vai nascer
parido por asfixia?!
- Ah não me venham dizer
que é fonética a poesia!

Serei tudo o que disserem
por temor ou negação:
Demagogo mau profeta
falso médico ladrão
prostituta proxeneta
espoleta televisão.
Serei tudo o que disserem:
Poeta castrado não!

Ary dos Santos

Monday, January 02, 2006

Pois é... já cá 'támos!!!

e com tanto para fazer que até vai doer...
Porra, começa mal, começa....
Bem, que o resto vá andando....

Friday, December 30, 2005

Interrompemos a emissão....

Apenas para desejar um Feliz 2006 a todos!!!!
Por mim, se for igual a este que amanhã termina significa que vai ser um ano MARAVILHOSO!!!

Tenho alguns desejos, uns mais confessáveis que outros!!! A prioridade é terminar e entregar a tese em tempo útil!!!

Beijos e já agora divirtam-se e se beberem, por favor, não conduzam!!!!!

Wednesday, December 28, 2005

!BlackOut!

...
Até novas ordens!
...

Tuesday, December 27, 2005

Custa tanto....

Depois de 4 dias de lareira, mimos, rabanadas, tinto, broas de mel, beijinhos, sofá, filmes, colinho, filho, marido, mãe, pai, avô, avó, sogro, sogra, sobrinhos, cunhados, irmão, caminha, mais mimos, mais beijinhos, trouxas de ovos, champanhe, festinhas, coscurões, mais tinto, nozes, figos, vinho do porto, etc, etc, etc.... Ter de acordar às 7h30m da manhã para vir trabalhar é cruel demais..... Até o meu F. pequenino rabujou mais do que é normal para se levantar.